A FLOR PERFEITA

Laelias e Cattleyas
Dendrobius
Cymbidiuns
     Convencionou-se que uma orquídea quase perfeita é aquela que se encaixa dentro de uma circunferência imaginária. As suas peças florais (sépalas, pétalas e labelo) enquadram-se perfeitamente dentro de dois triângulos eqüiláteros inversamente sobrepostos, e devem ser o mais redonda possível, as pétalas sobrepondo-se e as sépalas largas e simétricas, evitando vazios. O labelo deve ser proporcional, com o lóbulo arredondado, bem plano e de coloridos intensos.

     A FORMA ARREDONDADA NO JULGAMENTO DAS ORQUÍDEAS

As formas circulares também fazem parte, atualmente, dos critérios para julgamento de orquídeas, e foram estabelecidas as seguintes técnicas:
  • Os segmentos da flor devem se encaixar dentro de uma circunferência imaginária;
  • Suas pétalas e labelo devem formar um triangulo eqüilátero e suas sépalas também devem estar dispostas de maneira a formar outro triangulo inversamente superposto;
  • As pétalas devem ser as mais redondas possíveis. E que se superponham. As sépalas deverão ser largas e simétricas, evitando vãos;
  • O labelo deve ser proporcional, com lóbulo frontal arredondado, bem plano;
  • A flor, quando vista de lado, deve ser razoavelmente plana;
  • O labelo deve curvar-se para baixo e não em saliência, em ângulo reto com o plano das pétalas e das sépalas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popular Posts